Pleurer



Sei que vivo nesse mundo cinza,
Mas não sei se o meu é o mesmo.
Sei que estou vivendo,
Mas não sei até quando.

Às vezes me sinto parte da natureza,
Às vezes cada hora que passa parece ser a ultima.
Às vezes penso que nada é o que parece
E quase sempre faço a mesma prece.

Chorar não paga o meu langor,
Minhas lagrimas valem mais.
Talvez não exista mesmo amor,
Mas sei que um dia já o senti

Patrick Pinheiro
13/03/2013

4 comentários:

  1. Já estou um pouco emotiva... Quando li isso quase chorei... rs lindo e triste Patrick...
    Ainda bem que na vida, hoje se chora, amanhã se sorri... bjs

    ResponderExcluir