Visão alucinatória



Em uma chuvosa noite quente
Percebo algo na minha janela
Como uma luz escura me olhando
Como uma nuvem me desejando.

É ela! É ela que me deseja
Maldita melancolia!
Cale-se e saia de mim!
Não me deixe mais assim!

Percebo algo se mexer num canto
Acho que foi ela que vi entrando
Como um lenço no ar eu vejo
Vejo o monstro se aproximando

Fria como a madrugada boreal
Faz-me cair num sono profundo
Sinto algo por mim passando
É a melancolia me devorando.

Não consigo lutar...
Eu quero a cura para esta doença

Patrick Pinheiro
14/02/13

6 comentários:

  1. Olá,

    Parabéns pelo artigo,bem interessantes mesmo!

    Sucesso!

    ResponderExcluir
  2. Cuidado com a nóia meu irmão!

    ResponderExcluir
  3. Sempre encontro profundidade poética em seus versos.
    Abraços

    ResponderExcluir
  4. Muito interessante,
    Concordo com o Juan, vc deveria escrever um livro.

    ResponderExcluir