Entre a noite e o dia



A morte não é tão negra como dizem
A vida não é tão doce quanto parece.
Inventamos mentiras para subi-las,
Subir as escadas sem chão no final.
Preocupamos tanto o presente
Mesmo sabendo que o futuro nem veio,
E o passado já foi e insiste em assombrar.
Sorte é viver com a natureza e as flores
Sortudo é aquele que morre sem dores.
Azar é ter que acreditar em falsos amores.
Infortúnio é acreditar na Eternidade
Sabemos que as coisas não duram para sempre
Mas não precisam terminar drasticamente.
Tudo o que vivi não é nada ao que viverei
E tudo que eu errei nem se compara
A tudo aquilo que eu ainda nem tentei...
Depois de toda noite escura e trevosa
O sol nasce com raios de luz revelando a vida
E com ele vêm as atrocidades do dia a dia.
Mas não é por isso que vamos nos abater,
Sabemos que nem tudo está perdido ainda
Pois enquanto houver sol, enquanto houver dia,
Haverá vida, e uma nova chance:
De começar outra vez.

Patrick Pinheiro
25/01/13

6 comentários:

  1. Respostas
    1. Mas esse poema é claramente feliz e otimista! como você não percebeu isso?

      Excluir
  2. Patrick, é bom ver que você voltou a escrever.
    A escrita nos dá a oportunidade de desabafo, e isso é muito bom,e é bom também ver que você está otimista quanto à vida.
    Continue assim... seguindo em frente porque a estrada é longa...
    Um forte abraço em você.

    ResponderExcluir
  3. Olá meu caro Patrick
    o que falar do tempo? ou melhor, o que falar dessa angústia que temos de pensar no futuro?
    muito bem abordado e sempre com sentimento e metáforas, gosto muito disso.
    Continue assim e mais postagens
    ^;^
    como disse antes pra ti...
    NÃO PARE!

    forte abraçooo

    ResponderExcluir