Sonhos nunca morrem



O Soneto que você mereceria

Quem é ela que anda e encanta?
Aquela garota que me quebranta.
Tudo o que faço para ir não adianta
Não esqueço de ti minha Samanta.

Ontem ela disse que vai embora
O que farei da minha vida agora?
Os minutos passam fora de hora.
Eu aqui e ela para sempre lá fora

Perco-me em você...

Teu olhar quase que musical
Teu jeito sempre angelical
Tua boca é nada ocasional
Tu foste para mim especial

Não vá embora, fique, por favor,
E receba agora esta minha flor.
À tua triste ideia quero me opor,
Deixe que eu te dê do meu amor

Perco-me quando você me canta
Depois de tudo você não desencanta.
Por que você me afasta e me espanta?
Se te amo tanto querida Samanta.



Patrick Pinheiro
22/01/13

13 comentários:

  1. Parabéns, sempre que visito suas novas postagens me surpreendo! Continue escrevendo assim. Beijos.

    ResponderExcluir
  2. realmente achei o mais bonito até agora

    ResponderExcluir
  3. Poema único. Já estava com saudades de andar por cá.

    Desculpa pela minha ausência querido, não tenho tido tempo, escola, trabalho e as coisas estão pesadas. Mas sempre que posso "Meu único Mundo" me tem. Espero que continues por lá, não te vás por isso.

    Beijos e voltarei... <3

    ResponderExcluir
  4. Belo poema. E se o sonho morreu, foi porque nunca existiu. Sonhos nunca morrem.

    ResponderExcluir
  5. muito legal esse poema

    ResponderExcluir
  6. Obrigado! escrevi para alguém que talvez nunca o leia =/
    Pelo menos posso inspirar vocês que leram, e isso já me basta! ^^

    ResponderExcluir
  7. Gostei demais do seu blog.
    Poesia fantástica.

    http://rodrigobandasoficial.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Olá meu caro
    Que poema bonito e gostoso de ler
    ^;^
    parabéns
    forte abraço

    ResponderExcluir
  9. Sonhos morrem sim, você querendo ou não.

    ResponderExcluir
  10. Não no meu mundo. Sonhos só morrem se nós os matarmos.
    Mas se no seu eles morrem fácil não posso fazer nada :)
    #FicaDica

    ResponderExcluir
  11. Sim, meus sonhos morreram tão facilmente, em menos de uma hora tudo mudou na minha vida, e meus sonhos que havia construído hoje estão a sete palmos abaixo do chão.
    Tenho dois pensamentos hoje, às vezes me forço a dizer que devo seguir em frente, e às vezes eu acho que não deveria mais estar aqui. Pra mim a única coisa que vive pra sempre, são as lembranças.
    Espero que seus sonhos sempre tenham a chance de viver.
    Belo poema.

    ResponderExcluir